Feb 28, 2009

Saturno - 23/02/09


Mais um Saturno. O original encontra-se ao centro com Titã, a sua maior lua, à sua direita. À esquerda está o mesmo Saturno, mas resized a 150%. Desta vez o seeing estava pior e não deu para obter uma melhor imagem e no processamento também me parece bastante escuro. Titã também aparece aqui azulada, mas deveria ser vermelha. Possivelmente será demasiado ténue para a SPC e por isso pode ter havido qualquer problema na detecção das cores. Vou tentar mais vezes, e espero que as condições estejam mais favoráveis.
----------------------------------------------------------------------------------
Another Saturn. At center, the original with Titan at right and the same Saturn but resized 150% at left. This time, the seeing was worse than the last time and the photo is a little dark. Titan is red, but it came out blue. It may be due to the low brightness of Titan to the SPC. I will try again to see if the red pops out.

Feb 23, 2009

Vénus - 18/02/09


Mais um Vénus, capturado no dia 18 de Fevereiro com o setup do costume. Só consegui aproveitar cerca de 100 frames pois o Registax não estava a conseguir alinhar os frames. Deu para registar a evolução da fase, e vou tentar continuar a acompanhar.
----------------------------------------------------------------------------------
Another Venus taken on February 18 with the usual setup. Only about 100 frames were used because there was something wrong with the alignment on Registax. However, I was able to catch the phase. Details on the photo.

Feb 20, 2009

1º Saturno de 2009


Aqui fica o primeiro Saturno de 2009 (clicar na imagem); à esquerda um resize de 150% e à direita a original. A SEB (South Equatorial Belt) e EZ (Equatorial Zone) são bem visíveis bem como a NEB (North Equatorial Belt). Os anéis estão quase em linha com a órbita da Terra impossibilitando o vislumbrar da Divisão de Cassini, mas a sombra dos anéis no disco de Saturno é facilmente visível nesta imagem. Note a quantidade de cores presente nesta imagem, gosto bastante das cores deste Saturno. O stacksize é de apenas uns 120 frames de um total de cerca de 1200; para a próxima tenho que aumentar o número de frames capturados para ter um stacksize maior de modo a ter menos ruído na imagem e para aumentar o SNR (Signal to Noise Ratio). O seeing estava razoável, mas espero encontrar noites mais estáveis. Processado no Registax V4 e CS3. Com SkyView Pro 8" EQ+SPC900+UV-IR block+Orion ShortyPlus barlow APO 2x, capturado às 1h04 UT do dia 14 de Fevereiro.
---------------------------------------------------------------------------------
This is my first Saturn of 2009(click on the photo for full size); at right the original and at left the same photo resized 150%. SEB (South Equatorial Belt) and EZ (Equatorial Zone) are well visible as well as NEB (North Equatorial Belt). The rings are almost edge on, so the Cassini Division doesn't show up, but the shadow of the rings casted on Saturn's disk is easy to see. Notice all the colour data, I really enjoy the colours on this Saturn. The stacksize is about 120 frame of 1200; next time I have to capture more frames to increase SNR (Signal to Noise Ratio). The seeing was fair but I hope that more stable nights will come. Processed in Registax V4 and CS3. With SkyView Pro 8" EQ+SPC900+UV-IR block+Orion ShortyPlus barlow APO 2x, captured at 1h04 UT on February 14.

Feb 17, 2009

Vénus - 11/02/09

Mais um Vénus. Capturado no dia 11 de Fevereiro com SVP 8"+SPC+barlow 2x APO. A imagem da esquerda é a original, a da direita é um resize de 200%. À medida que o disco cresce em diâmetro, a fase continua a dimunir. É uma pena que Vénus esteja a ficar cada vez mais baixo no céu, mas ainda vai estar bem posicionado para fotografar durante mais umas semanas. Até lá, é aproveitar!
----------------------------------------------------------------------------------
Here is another Venus taken on February 11 with SVP 8"+SPC+barlow 2x APO. At left the original image and at right the same image resized 200%. As well as the disk gets wider in diameter, it gets thinner. It's a pity that Venus is setting sooner every day, but we still have some weeks that will worth imaging it.

Feb 16, 2009

1º DSO

A minha primeira tentativa com DSI revelou-se um bocado complicada. Fotografar DSOs (Deep Space Objects) não tem nada a ver com fotografia planetária/lunar. O objecto eleito foi, como não poderia deixar de ser, a Nebulosa de Orion (M42). A montagem não estava em estação por isso o seguimento foi uma treta, e por isso usei exposições de 2,8s, o que é muitíssimo pouco. Ou era isso ou era voltar para casa de mãos a abanar. Tenho de ver se consigo pôr a montagem em estação mas para já não está a correr lá muito bem. Foto tirada no dia 11 de Fevereiro pelas 22h UT com SVP 8" e DSI. Stacking com Deep Sky Stacker (DSS) e ajustes no CS3 para puxar pela nebulosidade.
---------------------------------------------------------------------------------
Here is my first attempt with my DSI. Imaging DSOs revelead completely different of imaging planets and the moon. The object chosen was the Orion Nebula (M42). The mount wasn't polar aligned so, there was no good tracking and because of that I could only managed exposure time of about 2.8s (I know, that is almost nothing). I'll try again to polar align the mount. Taken on February 11 at 22h UT with SVP 8" and DSI. Stacked with Deep Sky Stacker (DSS) and adjustments in CS3 to pull out more nebulosity.

Feb 14, 2009

Vénus


Mais um Vénus fotografado no dia 6 de Fevereiro às 18h37 UT. Está cada vez maior e com a fase cada mais pronunciada. Com o setup habitual.

-------------------------------------------------------------------------------

Another Venus taken on February 6th at 18h37 UT. Its disk is getting wider and less illuminted. With the usual setup.

Feb 10, 2009

Mosaico: Quarto Crescente

Mosaico de 13 frames da Lua em quarto crescente no dia 2 de Fevereiro (clicar na imagem para ver em tamanho real 959x1793). Com SkyView Pro 8"+SPC900+UV-IR block. Notem a diferença de brilho entre as terras altas do Sul da Lua com os mares a Norte. Várias estruturas são bem visíveis: vales, montanhas, crateras com picos centrais, crateras cheias de lava, mares, raios a emanar de crateras, falhas, etc. Explorem!
----------------------------------------------------------------------------------
Mosaic of 13 frames of the Moon in first quarter on February 2nd (click on the photo for full size 959x1793). With SkyView Pro 8"+SPC900+UV-IR block. Notice the difference in brightness between northern maria and southern highlands. A variety of formations are visible like mountains, craters with central peaks, craters filled with lava and craters with bright rays, maria, rilles, etc. Explore the mosaic yourself!

Feb 7, 2009

Crescent Venus


Antes de ter fotografado a Lua e tirado as fotos anteriores, fui até Vénus. A brilhar intensamente a sudoeste, é difícil passar despercebido. Lá apontei o SkyView Pro 8" e espreitei pela ocular. Lá estava ele, com a sua fase notória e brilhante. Comparativamente à última vez que o tinha visto estava consideravelmente maior e com o seu disco menos iluminado e uma fase mais pronunciada. Feitas as contas, cresceu 6" e o seu disco está menos 10% iluminado. Lá usei de novo a ortoscópica com a barlow e...WOW! O único "problema" era o seeing, que parecia não estar tão bom (se bem que bom seeing, anda a escassear por estas bandas). Mas como não sou invejoso, lá meti a SPC900 na barlow para tirar uma foto para partilhar convosco! O resultado está aqui! Um bonito crescente 40% iluminado e com cerca de 31". Tirada em 02/02/09, às 18h09 UT.
----------------------------------------------------------------------------------
Shinning at magnitude -4.6 in the southwest, Venus isn't hard to notice. I pointed my SkyView Pro 8" and took a look at the eyepiece. There was Venus, bright and its phase was notorious. From the last time I saw it, Venus got bigger (it grew 6")and with its disk less illuminated (less 10%). With my ortho and barlow the view was amazing! The only "problem" was the poor seeing. As I am a nice person, I put my SPC900 in the barlow e took this photo to show you! Here is the result, a pretty waning crescent 40% illuminated, with a diameter of about 31". taken on 02/02/09, at 18h09 UT.

Feb 6, 2009

Montanhas, vales e diferentes crateras

Need a Place to Upload an Image? Go to Clipart Of.com

(Clicar na imagem para maior resolução) No mesmo dia que a foto anterior, apenas uns minutos depois, apontei o telescópio um pouco mais a Norte, na região dos Montes Alpes e Vallis Alpes, duas das formações mais bem conhecidas pelos astrónomos amadores. Vallis Alpes tem um comprimento de 190km e uma largura máxima de 10km. Os Montes Alpes são uma cordilheira situada na parte Norte da Lua e forma a fronteira nordeste do Mare Imbrium. Uma cratera interessante é Cassini. A sua superfície contém várias crateras, dentro dela própria! As duas mais "vistosas" são Cassini A e B, sendo A a maior das duas. Mais abaixo à direita encontram-se os Montes Caucasus que são uma prolongação dos Montes Apenninus e os seus picos mais elevados têm cerca de 6km! A cratera Aristoteles (com cerca de 87km de diâmetro) tem dois picos descentrados, no seu interior e forma um bonito par com Eudoxos. Edege é uma outra cratera, mas bem diferente das últimas. Isto porque o seu interior foi preenchido por lava, restando apenas o seu contorno para contar a história. Reparem nas sombras projectadas pelos picos montanhosos. Esta é uma área que engloba uma grande diversidade de formações.
----------------------------------------------------------------------------------Click on the photo for viewing in fullsize) . On the same day as the previous image, only after a couple of minutes, I pointed the scope just some degrees to the North, at the Vallis Alpes and Montes Alpes region. Vallis Alpes is a lenght of about 190km and a maximum of 10km wide. Montes Alpes forms the northeastern border of the Mare Imbrium. An interesting feature is the Cassini crater, with two remarkable craters inside its rim (Cassini A (the largest) and B). Below we find Montes Caucausus with peaks as height as 6km! It forms a continuation of the Montes Apenninus range to the southwest. Above at right is located Aristoteles and Eudoxos. Aristoteles has two peaks offcenter and Eudoxos has several ones at its center. Edege is a crater which was filled with lava and only its rim remains visible. This area really has a lot of different, remarkable features!

Feb 5, 2009

Montanhas, crateras e...instrumentos de exploração


Aqui fica uma foto da região dos Montes Apenninus, e fiz um GIF para legendar as partes mais relevantes (clicar na imagem para resolução original). Tirei esta foto com o meu SkyView Pro 8"+barlow APO 2x+ SPC900+UV-IR block, no dia 2 de Fevereiro. A zona dos Montes Apenninus está situada na zona Norte da Lua, a sudeste do grande Mare Imbrium. É, de facto, uma cordilheira formada pelos Mons Wolff , Mons Ampère, Mons Huygens, Mons Bradley, Mons Hadley Delta e Mons Hadley. É um remanescente do impacto que criou Imbrium e pensa-se que se formou pelo levantamento criado pelo impacto, que também escavou uma grande cratera que depois foi inundada por lava, formando o Mare imbrium e preenchendo esse "buraco", apenas sobrando parte dos seus contornos, entre os quais esta cadeia montanhosa. A zona marcada com um B, foi onde a missão Apollo 15 começou, e a letra A assinala o local onde se encontra a módulo lunar utilizado nessa mesma missão. Esta foi a quarta missão tripulada e a primeira a usar um "jipe lunar". A tripulação era composta por David Scott, Alfred Worden e James Irwin e o lançamento deu-se a 26 de julho de 1971. Nas imediações do local A (apelidado de Palus Putredinus) foi também o local em que a soviética Luna 2 se depenhou.
---------------------------------------------------------------------------------
This photo shows the Montes Apenninus area (click on the picture to see the GIF in full size), taken with my SkyView pro 8"+barlow APO 2x+ SPC900+UV-IR block, on February 2nd. It is located on the northern part of the Moon in the southeastern border of the large Mare Imbrium. In fact, it is a mountain range which contains the Mons Wolff , Mons Ampère, Mons Huygens, Mons Bradley, Mons Hadley Delta and Mons Hadley. Apennine Mountains are the remnant of the rim of the Imbrium impact basin and is thought to be made of the uplift of the terrain surrounding the excavated hole. The zone marked with a B, is the location of the Apollo 15 mission and the letter A indicates the place where the lunar module was left by the astronauts David Scott, Alfred Worden and James Irwin in July, 1971. It was the fourth mission to land on the Moon and the first of the "J missions", using a Lunar Rover. On the suburbs of A (Palus Putredinus) is also where the Luna 2 crashed.

Feb 2, 2009

XMM-Newton reanimado por antena de 34 metros!

No dia 18 de Outubro do passado ano, o contacto com a XMM-Newton não foi bem sucedido. Após ter comunicado normalmente com uma estação no Chile. Depois da nave deixar de ser contactável a partir do Chile, o seu sinal rádio era esperado por uma estação em Villafranca, Espanha, uma hora depois. No entanto, o contacto rádio não foi reestabelicido como previsto.
É um acontecimento relativamente comum com satélites, pois esta falha pode dever-se a um erro num comando, ou um raio cósmico bateu num chip de computador sendo necessário reiniciar a nave. No entanto, verificou-se que não era este o caso. Estaria a nave avariada e a rodar descontroladamente? Teria sido destruída por algum lixo em órbita?
3 dias depois, a deep space antenna de 35 metros da ESA, na Austrália, capturou um fraco sinal da XMM-Newton. A análise do sinal sugeriu uma falha no radio-transmissor (on-board Radio Frequency (RF) switch ). Uma outra antena da 34 metros da NASA em Goldstone, foi usada para enviar um sinal para reiniciar o RF.
"XMM-Newton agora está segura e totalmente sob controlo", disse Dietmar Heger, XMM-Newton Deputy Spacecraft Operations Manager no ESOC.
Lançada em Dezembro de 1999, a XMM-Newton é um observatório espacial de raios X.
--------------------------------------------------------------------------------
On October 18, after communicate with a tracking station in Chile, the radio signal was expected to be caught in another tracking station in Villafranca, Spain. However, no signal was heard.
Its relatively common with satellites; a loss of signal can be due to a mis-typed command or a cosmic ray hit on a computer chip requiring the spacecraft to be rebooted. But it wasn't the case. The fear that XMM-Newton had broken up scared X-ray astronomers.
3 days later, the ESA's deep space antenna with 35 meters, catured a faint signal from the spacecraft. Analysis of the signal suggested a failure in the on-board Radio Frequency (RF) switch. The 34 meter NASA antenna at Goldstone sent a signal to reset the switch.
“XMM-Newton is now safe and fully under control,” said Dietmar Heger, XMM-Newton Deputy Spacecraft Operations Manager at ESOC.
Launched on Decermber 1999, the XMM-Newton is a X-ray space observatory.